terça-feira, 31 de julho de 2007

Art Brut _ Direct Hit

Novo single do novo album "it's a bit complicaded", sucessor do "Bang bag rock and roll" de 2005. Fun fun fun.

Supergrass - Novo Album

Está disponivel para download grátis no site oficial da Banda www.supergrass.com, o novo single "diamond hoo ha man" (live) a anteceder o já terminado sucessor do "Road to Rouen". Boa antevisão.

segunda-feira, 30 de julho de 2007

Portugal. The Man - Church mouth


Encontrei-os no site da Filter magazine, numa CD Review de 25/7/2007. Sem ligações aparentes a Portugal, a banda Portugal.The Man tem um album novo, "Church Mouth". Já fizeram as primeiras partes de concertos de bandas como: Throwing Muses, Grizzly Bear e Fall of Troy e têm como referencias: The Beatles, Led Zeppling, white Stripes, Mars Volta, entre outros. Não são brilhantes, mas não dão mau uso ao nome de Portugal.





Laurie Anderson - O Superman

A Grande Laurie Anderson ainda há pouco esteve em Portugal. Paisagens binarias e imagens metalicas, próprias de uma linguagem urbana. Para começar uma semana em grande.

sábado, 28 de julho de 2007

Gogol Bordello - start wearing purple

Embora não sendo do album Super Taranta, é uma optima amostra do mundo de Gogol.

Musica do dia

Gogol. Depois da Actuação com a Madanna no Live Eath, a consciência nacional acordou para ouvi-lo. Eu não lhe prestei muita atenção antes desse concerto, confesso. Contudo "Super Taranta" é um albúm interessante, movendo-se num punk cigano. Ouvi-lo trouxe-me à memória os "Pogues", principalmente a voz de Shane MacGowan.



sexta-feira, 27 de julho de 2007

2 cds

The Thrills - Teenager

Lançado entre nós esta segunda-feira, 23/7/2007, Teenager, o 3º longa duração dos Irlandeses The Thrills, assume-se como um refinado punhado de canções Pop. Há quem se refira a este álbum como sendo necessário regressar à adolescência para apresentar um álbum maduro. Não podia estar mais de acordo. Para ouvir durante o Verão.

Bat for Laches – Fur and Gold

Este é um daqueles cds que despertaram a minha curiosidade, não só porque toda a impresa e afins fala rendida mas também pelo simples facto de não conseguir perceber o tão grande entusiasmo gerado à volta dele. O que é desconcertante é que Fur for Gold tem tudo para eu gostar. POP, com contactos inegáveis a universos de cantoras como a Bjork, ou como as irmãs de Cocorosie, ou até mesmo Kate Bush. No entanto, sinto falta de qualquer coisa. Para ouvir melhor.

Dica do dia - The Thrills - Nothing Changes Around Here

Para ouvir, ao final da tarde, numa esplanda junto ao mar. Ou onde quer que esteja.

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Os Próximos nova Grande Coisa

3 Coisinhas que têm vindo com alguma insistência na imprensa britânica: The Twang, The View e Cherry Ghost. Todos eles soam a subprodutos de outras tantas coisas que já ouvimos e que vamos com certeza continuar a ouvir. Britpop, Pop Britânica, de agora, dos anos 60, ou 70, ou 80, ou até já, dos já não tão pertinho de nós, anos 90. Em pleno Verão, ouvimos tudo com um sorriso nos lábios, sabendo que mal chegue Setembro, estes rapazes cairão no esquecimento. Será? A ouvir de perto, podemos estar perante a “Next Big Thing”.
The Twang - "Love it When i Fell Like this"; The View - "Hats off to the buskers"; Cherry Ghost - "Thirst for Romance".

Para ouvir: As Outras Bandas

A propósito da edição do álbum de estreia dos Lightning Dust, elemento dos Black Mountain, serve de mote para falar de outros elementos, de outras bandas, que também têm projectos paralelos e estão no Activo:

Lightning Dust – Lightning Dust (2007)


Joshua Wells, também membro dos Black Mountain, junta-se agora a Amber Webber, para demarcar-se um pouco do psicadelismo praticado pelos primeiros e visitar territórios mais próximos de uma Folk-Rock. Para ficar debaixo de olho. Acabadinho de sair.


Albert Ammond Jr – Yours to Keep (2007)


Guitarrista dos “the Strokes”, laçou-se este ano a solo. Praticando um Rock similar à sua banda precedente, está presente na maioria dos festivais de Verão, vem a Portugal actuar no Festival Sudoeste. Rock inofensivo, mas também sem grande paixão. Óptimo para ouvir na rádio, sem ser conectado de rock FM.

Blanche – Little Amber Bottles (2007)


Banda que navega na triologia GothicFolk-Indie-Rock, ligeiramente em terrenos diferentes que o seu baixista Jack lowrence pratica nos "The Reconteurs”, juntamente com Jack White (Withe Stripes) e Bredan Benson. Os “Blanche” não são propriamente novatos, contam pelo menos com mais dois álbuns e um EP, a saber: “If we can’t trust the docters”, “What this town needs” e Who’s to Say (EP). Saiu no final de Junho e é ideal para ouvir no ipod enquanto lemos um bom livro.

Handome furs – Plague park (2007)


Dark and noisy, foi a melhor descrição que ouvi sobre este álbum. O vocalista dos “Wolf Parede” tem aqui espaço para desgarrar a sua melancolia e tristeza. Um pouco diferente que os seus parceiros fazem nos seus projectos paralelos, que também são óptimos álbuns para consumir: “Swan Lake – Beast Moans” (2006) e “Sunset Rubdown - Shut up i am dreaming”, também de 2006.

terça-feira, 24 de julho de 2007

Siouxsie Sioux - Into a Swan

O Regresso de uma das vozes feminimas mais belas de sempre. Agora sem os Banshees. O album sai no final do Verão

A Descobrir - Keren Ann

Baseada na sua voz sensual, a sua musica encontra neste 5º album da Cantora de origem Isrealita (agora a residir em Nova York, depois de uma Passagem por Paris) um ambiente mais próximo dos "Velvet Underground". Belo, Portanto!

Festival Sudoeste 2007

Oh Meu Deus! Nada adivinhava um Cartaz assim: Chato, Chato, Chato. Tem muitas bandas, mas poucas são aquelas que possam ser consideradas da linha da frente. Mas ao que parece, não são as bandas que interessam. Segundo comentários que tenho vindo a ouvir: O que interessa é o Convívio. Só me apetece dizer: Bem-vindo a mais uma FESTA DO AVANTE.

Mais uma vez parece que a música é posta em segundo plano: Desde que haja uns gajos em cima de um palco a festa faz-se. E é tão redutor. Bem sei que o “maior Festival do Verão” estava fadado às massas. Mas custa-me sempre verificar que para chegar às massas é preciso baixar as fasquias da qualidade musical ou lançar aos “festivaleiros” os géneros musicais que estão na moda. Na Moda em Portugal entenda-se. Porque quando uma coisa está IN em Portugal, lá fora já deu a curva e está quase a ser moda outra vez por terras além D. Sebastião. Se calhar somos vanguardistas, e eu não sei!

The Cure: 10:15 Saturday Night


Foi em 1987 que ouvi pela primeira vez esta música. Gravei para uma cassete de uma outra cassete gravada, o álbum que contém esta música: “Three Imaginary Boys”, de 1979, e continua a ser uma das minhas canções favoritas dos “The Cure”.
Soube, posteriormente, que Robert Smith escreveu esta música com 16 anos, enquanto bebia, deprimido, cerveja na sua cozinha. Continua guardada junto a muitas outras cassetes.

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Dica do dia

Mais uma POP docinha, vindo da Suécia. Single do albúm "until death comes" de 2006. Um doce sem prazo de validade.

domingo, 22 de julho de 2007

Taken By Trees - Lost and Found

Para quem se perguntava por onde andava Victorian Bergman, ex-vocalista dos the Concretes, tem a sua resposta neste projecto "Taken By Trees", que acabam de editar o album open field (25 de Junho). Pop docinha e minimalista.

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Para ouvir este fim de semana 4

Besnard Lakes – are the dark horse

É um dos meus álbuns favoritos deste ano. Há já uns tempinhos bons que saiu, mas é sempre com muito agrado que volto a ouvir este disco. E quando não o ouço, é igualmente agradável ficar com a música de abertura Disaster na cabeça, simplesmente porque alguma coisa me fez lembrá-los.

Para ouvir este fim de semana 3

No Age – weirdo rippers

Empacotados numa numenclatura que nunca mais acaba noise-rock-punk-pop-qualquer-coisa, este álbum de estreia destes rapazes, é uma descarga de energia eléctrica, e Noisy perfeita para ouvir em altos berros.

Para ouvir este fim de semana 2

The Clientele – God Save the Clientele

Depois de Strange Geometry, os Clientele, continuam na senda da sua Pop descompremetida e pejada de referências de Bandas Britânicas. O que mais gosto desta banda, e deste albúm, é a sua honestidade para com a música que fazem: não escondem que são influenciados pelas suas referências. Não são brilhantes, nem salvadores da pátria, quanto mais do mundo, mas agradam, principalmente, se ouvirmos a letra enquanto degustamos a sua música
.

Para ouvir este fim de semana 1

Spoon – GA GA GA GA

Os Spoon têm vindo a refinar o seu Indie-Rock, tornando-se mais sumarentos a cada lançamento de um novo disco. Só lhes fica bem. Para ouvir muitas vezes.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

The Broken Family Band It's all Over

Não resisti. Lindo Lindo Lindo. Esta musica pertence ao albúm "Balls". "Hello Love", o 4º e novo albúm da Banda, já está disponivel no Amazon U.K. desde 2/7/2007. Ouvir e Ouvir e Ouvir.

Roisin Murphy - overpowered

Menos Herbert mais Moloko. Como será o Album? Entretanto adoro esta Música.

... And Justice for All

Ao ler o artigo sobre os Justice lançado no IPSILON de sexta-feira dia 13/7/2007, fiquei muito enfadado. Mais uma vez, numa época onde se mostra sinais de cansaço da frente Pop pós New-Wave ou da euforia desmesurada pelos Arcade Fire, aponta-se o dedo na direcção de um Messias. Desta vez calhou aos Justice. E eu pergunto-me, por que não apontar o dedo ao Panta du Prince, ou aos Digitalism, ou até mesmo aos Battles? Não me respondam, por favor, que é porque são melhores.

Provavelmente é só mais um caso de letras gordas, para vender ideias, como a POP tão bem sabe inventar. Esta deve ter sido a NEXT NEW BIG THING daquele dia. Também não me interessa muito, se querem saber, se são ou não são a voz da nova geração. O que me aborrece solenemente é esta busca do novo Messias.

Adverte, ainda, o assinante do referido artigo, que a musica pode não entrar à primeira. Pois a mim não me entrou nem à primeira nem à segunda e nem à terceira, porque entretanto degustei o novo disco dos Tarwater, que não sendo nenhuns Messias, dão-me aquilo que eu procuro na música: Prazer.

Spoon -

vamos ouvir coisinhas novas nestes dias. O albúm já está disponivel. Pelo menos na amazon, desde 10/7/2007

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Ride - Drive Blind live Brixton 1992

Não se ouve nas melhores condições, mas dá para recordar. Mesmo assim arrepia! Saudades!

Yeah Yeah Yeahs - Down Boy (music video)

Para ouvir no EP acabadinho de sair IS IS

terça-feira, 17 de julho de 2007

Handsome Furs - Cannot Get Started [music video]

handsome furs

São do canada. Ele faz parte dos Wolf Parede. E a musica não me sai da cabeça.

http://www.youtube.com/watch?v=g8Ib9JP7PS4

Music is my Radar

Gosto de descobrir música, de pesquisá-la e de procurá-la em todos os cantos. Leio para saber onde posso descobrir mais e mais música. Falo de música e adoro descobrir novos apontamentos. Pesquiso novamente. E ouço, sempre, muita, muita música.

My Mother's Sleeping Pills

Música para quem não quer dormir.

YEAH YEAH YEAHS - IS IS (EP)

Afinal o EP dos YEAH YEAH YEAHS - IS IS só está disponivel a partir de 24/7/2007 (data do Amazon.com).
Desculpem, mas a musiquinha deles é sempre uma excitação!

Opinião: Transmissão em directo do Live Earth pela RTP

O frenesinzinho gerado pela transmissão em directo do Live Earth, despoletou em mim uma crise existencial, que pelo andar, estou longe de resolver. Sinto que a música não é levada a sério em Portugal. Só posso deduzir que não pode ser. Desde miúdo que sou confrontado com a falta de informação e divulgação acerca de música. Não me considero especialmente inteligente por querer, ou desejar saber e ouvir mais música e não aceitar passivamente o que o panorama musical tem para me oferecer.

Ouço constantente, como justificação, para que as coisas corram como actualmente correm: dar ao Povo o que o Povo quer. O que para mim soa mais a propaganda do que outra coisa. Eu sou Povo. Sempre fui Povo e nunca me deram o que eu quis. Tive sempre que procurar noutro lugar, noutro país, para sentir que estava ligado a uma realidade que não era fruto da minha imaginação. Se calhar é esse o meu problema: a minha realidade não ser a de Portugal.

Provavelmente pela Música não ser levada a sério, o Live Earth teve esta décalage entre o directo e o que realmente foi em directo. Provavelmente não se investe a sério neste tipo de programação porque os resultados são menores. Entristece-me saber que além fronteiras há acontecimentos globais que parece que fazem uma curva quando passa por Portugal e chega horas depois. Fico sempre com esta sensação de frustração, e sinto-me pior ainda quando se trata de novidades e tendências musicais. Claro que a música que se faz por cá e toda a cultura gerada pelas pessoas para quem as televisões, revistas e jornais portugueses trabalham, é importante. Mas pelo amor de Deus não haverá espaço para coexistirem varias realidades?